, ,

Made in Abyss: A Maior e Mais Profunda Supresa de 2017

Compartilhar

O Anime do Ano:

Um abismo que ninguém sabe até onde vai nem o que há no fundo. Há apenas alguns mapeamentos das camadas e alguns bestiários pouco completos. Menos de 10% da fauna foi catalogada. Sendo o lugar mais misterioso e perigoso do mundo, diversos exploradores decidem iniciar sua jornada pelo Abyss e lá descobrem que havia uma civilização perdida e inúmeros artefatos de uso desconhecido ou fantástico, chamados por eles de Relíquias do Abismo, de grande valor. Ao longo do tempo, com o grande movimento de pessoas, a cidade de Orth se forma na boca que desponta do abismo. Uma sociedade inteira baseada em explorá-lo. Quanto mais fundo se for, mais certa é a morte.
Classificado por muitos como "O Melhor Anime da Temporada", Made in Abyss cumpre, e muito, o hype. Sério.
Começando pela ficha técnica pra você ter uma noção no monstro. O estúdio é o Kinema Citrus, que graças a deus é o estúdio de Barakamon, Black Bullet, Code: Breaker... Dirigido por Masayuki Kojima, que trabalhou em Black Bullet e no clássico Hajime no Ippo; script por Hideyuki Kurata que participou de Samurai Flamenco e de Hellsing Ultimate além de fazer o script completo em Drifters.
O enredo gira em torno de Riko, uma órfã que teve como sua mãe Lyza, uma exploradora lendária e do ranking mais alto possível, uma Apito Branco, desaparecida em atividade dentro do Abismo. A protagonista vive em um orfanato voltado para a criação de exploradores, chamados por eles de Invasores da Caverna, e é do ranking mais baixo possível: uma Apito Vermelho. Um dia durante suas atividades, junto de seu amigo Nat, na parte mais alta do abismo é atacada por um monstro e resgatada por um robô que ela acredita ser uma Relíquia e, junto de seu amigo, o leva, desacordado, para casa. Chegando lá, quando ele acorda descobrem que está sem memória e Riko o chama de Reg.
Determinada a achar sua mãe que acredita estar no fundo do Abyss e querendo descobrir a origem de Reg, Riko parte com ele para o abismo.
Você não deve se deixar enganar com a estética infantil de alguns personagens ou partes, o anime é pesado. Além de muito bem feito e com uma trilha sonora espetacular. O estúdio e a direção deram aula e o hype se mostrou verdadeiro. Enredo muito bem trabalho e falas ótimas, personagens bem explorados e com profundidade enorme - piadas com abismo à parte. Geralmente sou adepto do "Don't Believe  the Hype" (Não Acredite no Hype) mas nesse caso tive que tirar meu chapéu. 10/10. 

 O trailer alternativo dessa obra-prima:


0 comentários:

Postar um comentário

 

 

Parceiros: